Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Indústria; Tomar & Crise

por Antigo Mail, em 20.02.09

Central Eléctrica   Medidas que o Thomar Vrbe sugere (não para "solucionar" a crise) para atenuar a crise (uma vez que as crises devem ser evitadas e prevenidas atempadamente), medidas que creio serem as mais adequadas ao problema corrente.

   Tendo como pressuposto o seguinte: o que queremos para Tomar?

   A meu ver, a solução continua ainda no processo produtivo, na criação de indústria sólida, rentável e sustentável. A produção da riqueza e não esperar que esta nos apareça por intermédio daqueles que nos visitam, até porque a indústria não elimina o turismo ou a cultura, aliás até permite que haja um intercâmbio entre as indústrias e o ensino, que está presente na Cidade de Tomar.

   Se temos um ensino polivalente, porque não o canalizamos para a actividade efectiva? O que nos impede de criarmos uma zona industrial dinâmica onde se conjugue a criação de riqueza e a inovação propiciada pelas instituições de ensino? Muito pouco.

   Volto e afirmar: O turismo é fulcral em Tomar, muito mais do que no presente o querem fazer crer.

 

   INDÚSTRIA | A criação de riqueza e produtividade.

   TURISMO    | Facilitador do conhecimento, permite divulgar e potenciar a cidade.

                         | Aumento do capital em circulação, divisas externas.

 

   Ou seja, tomemos a indústria como principal actividade, geradora de riqueza e o turismo como meio potenciador e impulsionador da descoberta de Tomar, a auto-promoção toma em muitos casos parte activa no turismo. Além disso, o turismo, actua como uma "dose" extra de rendimento cumulado com a indústria, permite a criação de riqueza própria e a vinda de capitais externos.

   Isso permite combater o desemprego, projectar a cidade, ter parte activa na riqueza nacional e fomentar a ligação entre as actividade profissionais e o ensino; isto ainda com a vantagem que uma cidade como Tomar tem ao se localizar no centro do país e com a história industrial que teve.

 

   Agora, pensemos que se isto tivesse sido implementado há uma década, bem estruturado e fasedo, estávamos agora com uma melhor defesa com a esta tão afamada crise. As crises só são resolúveis com antecedência e previdência.

 

   Tomar neste momento e a meu ver, só poderá tomar um rumo certo se for posto em prática um plano faseado a vários níveis, tendo em vista a correcção de algumas políticas e mecanismos incluindo obras de remodelação e obras profundas que visam a potenciação económica (e não a auto-promoção camarário e pessoal dos seus dirigentes, como tem vindo a acontecer) e, principalmente um plano de saneamento das contas públicas ultra rigoroso (não digo que não seja preciso cortar em muitas coisas que a bem do desenvolvimento sejam supérfluas) e muito contencioso que visa em primeiro lugar regularizar activos e passivos e, diminuir ao máximo os custos.

 

   Os campos de actuação são sem dúvida:

   - O campo financeiro;

   - A urbanização

   - A reorganização industrial

   - A reorganização funcional dos trasnportes (com destaque para o ferroviário):

      . Reorganização (entre Tomar, municípios vizinhos e CP) do Ramal de Tomar, e da estação da Linha do Norte de Fátima.

      . Adaptação do Ramal de Tomar ao transporte ferroviário de mercadorias potenciando uma zona industrial com ligações ferroviárias.

      . Potenciação da estação de Fátima como estação de Tomar, que visa ligar a cidade aos principais comboios rápidos da linha do norte.

   - Potenciação sustentável do turismo.

 

   E ainda tendo em conta as freguesias rurais, apoio à agricultura com especial atenção às explorações rentáveis, sustentáveis e cooperativas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:23


Propaganda são números...

por Virgilio Alves, em 16.02.09

   Pois é, o Sr. Luís Ferreira, que até já cortou os comentários de novo no seu blogue, e acérrimo defensor do Partido Socialista, consegue arranjar sempre uns textos incríveis para propagandear, agora é isto:


 


   "Mas carregados que estamos de tempo para esperar e na ausência do trabalho concluído, vamos tendo estudos, documentos enquadradores, estratégicos, análises e visões, etc. Num dos estudos fomos descobrir o que poderia ser considerado um “tesourinho deprimente dos Gato Fedorento”, se não se desse o caso de serem mesmo verdade os dados aí lançados. Falamos da análise ao estado da Rede Viária Municipal, realizado pela equipe de revisão do PDM. Os dados são os seguintes:



% Estradas e Caminhos em Mau Estado ou não asfaltadas



Menor que 20% dos Km existentes: Alviobeira, Casais, Carregueiros,

S.João, Paialvo, Asseiceira,

Sta Maria, S.Pedro e Junceira



Entre 20 e 30%: Sabacheira, Pedreira e Madalena



Entre 30 e 40%: Beselga, Olalhas e Além Ribeira



Superior a 40% dos Km existentes: Serra



Num olhar atento verificamos que 9 das 16 freguesias do concelho têm menos de 20% das suas estradas e caminhos municipais em mau estado ou não asfaltadas.

Um dos aspectos curiosos que salta à vista, é que das outras sete freguesias com as suas estradas mais deterioradas, quatro são governadas por autarcas do PS - Sabacheira, Madalena, Beselga e Além da Ribeira.

Aliás, se olharmos com mais atenção, das cinco Freguesias que são governadas por autarcas do PS, quatro estão entre as que têm as suas estradas mais degradadas.



Tal facto só é relevante porque esta semana, mais uma vez, a maioria PSD aprovou a transferência de verbas para as Freguesias, que não tem em conta as necessidades efectivas de melhoria, por exemplo, da rede viária municipal aí existente."


 


   Bom texto, sim senhor, no que toca a denunciar o executivo, também o acho, agora, assim, também eu consigo fazer propaganda barata. Querem ver?


 


   Então peguemos nesse estudo:


   E concluímos isto... 100% (acho que isto quer dizer tudo) das freguesias da CDU estão no melhor patamar, com menos de 20% das estradas deterioradas ou não asfaltadas. O que me leva a concluir tendo em conta o Sr. Luís Ferreira, de que a CDU deve ter uma concordata com o PSD contra o PS. É claro que não. (Deixa-me ver se encontro a melhor descrição... ahhhh é dificil, ah já sei, chama-se boa gestão) É com gestão pratica e concisa que se obtém estes resultados, uma gestão eficiente ém pé de igualdade para com as outras freguesias.


 


   Mas deixando este estudo, e que tal... Um bocadinho de honestidade?


   Largar estas propagandas baratas, aposto que o Sr. até viu este pormenor de Paialvo e Carregueiros, mas como era a CDU (até podia ser o BE ou CDS, como não é o PD) não se inclui. Pois é, e ainda querem votos!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:17


Câmara Municipal e a cidade...

por Antigo Mail, em 12.02.09

Candeeiro na Levada   Indo directamente ao ponto, é do conhecimento de todos nós que em Tomar, a Câmara Apresenta um lado sombrio e obscuro, palavras exageradas? Existe um executivo que francamente, por um lado não sei se rio, se choro, rir pela maneira como os eleitores têm a capacidade fenomenal para eleger executivos que afundam a sua cidade, e choro pela maneira como esse mesmo executivo gere a Câmara. Sinceramente, a Câmara Municipal está em muita más mãos, um verdadeiro caos dentro de um caótico país, uma Câmara à beira do colapso, colapso financeiro e moral. Tudo em Tomar colapsa, desmorona-se, definha... Sejam as obras mal feitas, ou inviáveis, ou inuteis... ou inexistentes, sejam  os fiascos financeiros frutos de uma muito má gestão, descalabro na forma como se tentou transitar da indústria para o turismo, que nunca se concretizou (não é que não haja potencial da cidade). Uma hecatombe, um verdadeiro cataclismo autárquico, realmente é dificil conseguir fazer-se uma gestão tão dificil como esta da Câmara.

   Agora o que se assiste é, a tentativa de coleccionar votos, as obras de fachada, a propaganda (leia-se "empresas de comunicação"), as inaugurações (mesmo aquelas para as quais apenas um punhado de pessoas esteve a favor), os sorriso falsos, as falsas e intermináveis promessas que se arrastam no tempo, a oposição que tenta retomar o poder com recurso à constatação directa da Câmara, enfim, os Senhores Doutores que cumprimentam tudo e todos a pretexto de tudo ou nada, aqueles que nas claras soam a ilustres e nas sombras organizam negociatas (leia-se imóveis a renda, quando existem imóveis maiores devolutos pertença da Câmara). Como é que é possível não rogredir em tantas décadas, é que Tomar não anda para a frente, regride. Não se faz nada, o que é necessário continua em promessa e que não é necessario faz-se logo (desde que pareça bonito e seja no meio da cidade oara todos verem, dá mais votos assim).

   Mas sinceramente o que me dá mais pena, são os eleitores que permitem uma coisa destas. Será que não percebem que estão não só a arruinar a vida deles, como a minha e como a de todos nós? Devia ser possível processar esses eleitores pelos danos causados a mim e ao município. Será tão difícil que perceber que esta Câmara é INUTIL? Não presta, nem sequer tem prazo de validade, porque à partida já não o tinha de tão deteriorado executivo. O que se passa, será falta de óculos ou coisa do género? Não compreendo, como é que se chegou a isto. Já não se viu que nem o PSD nem o PS resolveram os problemas estruturais da Câmara Municipal?

   Quem quiser ser responsável e cívico, jamais pode votar no PSD. Acho que isso é óbvio!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:06



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Fevereiro 2009

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2006
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D