Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Vantagens comparativas

por Virgilio Alves, em 05.09.08

Albufeira e Barragem do Castelo do Bode    Segundo a últimas notícias publicadas no Jornal Cidade de Tomar, com base num estudo publicado pelo Diário de Notícias, em que se lê "Tomar entre os mais caros do país na factura dos SMAS", vem reforçar a ideia vigente, de que Tomar, não ostenta vantagens em relação aos concelhos vizinhos, segundo um mapa deste jornal, Tomar fica classificada com a legenda de "mais de 250 euros" anuais pagas pela água, ao contrário dos concelhos limítrofes, com excepção de Abrantes, ainda assim, Abrantes figura no patamar anterior entre os 200 e os 250 euros anuais, figurando Tomar, como o concelho mais caro de todo o Distrito de Santarém e da Comunidade Urbana em que se insere, comparativamente, os concelhos vizinhos, pagam em média menos 100 euros anuais, e no Distrito, uns confortáveis 50 euros anuais no Concelho da Chamusca, este último o mais barato do distrito e ficando classificada entre os oito mais baratos do país.


   Pena é que, não é somente na água que se verifica a carestia em Tomar, mas em muitos outros aspectos, onde se destaca os preços de habitação, a começar pelos encargos municipais e pela burocracia. Tais factos implicam um aumento do preço final de habitação, a somar a isto, o facto de não se perspectivar expectativas de emprego seja pela falta dele ou por não existir futuro em muitas carreiras e, se por um lado, o custo de vida é elevado, se estabelecer residência é custoso e moroso e, a generalidade dos preços dos serviços é alta, por outro lado, deveriam existir outras compensações que permitissem eleger Tomar como um concelho a investir e morar, infelizmente, não se pode dizer que seja assim, é que ao assistirmos às realidades desta cidade notamos a falta em infra-estruturas sociais, culturais e comerciais, na generalidade, encontramos mais serviços e comércio em concelhos vizinho com menores custos de vida.


   Portanto, não nos podemos fiar nas belezas das terras templárias, isso por si só não chega, as populações necessitam de urbes que lhes garantam futuro laboral, espaços sociais de lazer e cultura, e obviamente de um custo de vida menor. Desafortunadamente, ao fazermos pender na balança as vantagens e desvantagens tomarenses, esta penderá para as desvantagens, não oferecendo nenhuma vantagem comparativamente aos concelhos da região.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:18


Transportes Urbanos de Tomar

por Antigo Mail, em 05.09.08

Transportes Urbanos de Tomar   Veio recentemente a público a aquisição de outros dois mini-autocarros, para reforçar o circuito de transportes urbanos, a novidade reside, na criação de um percurso, mais concretamente na inversão do percurso actual, ou seja, passará a coexistir o percurso actual e simultâneamente o percurso inverso, eliminando, o tempo de espera e acima de tudo, deixando de ser necessário aos passageiros, ter de completar  por vezes, quase a totalidade do percurso, uma vez que partindo de um ponto, cujo destino é uma estação anterior, o que acontecia era ter de efectuar uma maior volta já que apenas existia um sentido, assim, com este percurso inverso essa situação é eliminada, diminuindo o tempo de espera, o tempo de viagem, e o número de utilizadores num mesmo veiculo.

   A ser verdade a implementação de um terceiro percurso, cujos moldes serão os de ligar as zonas maais afastadas, penso existirem condições para o aprimoramento das condições de mobilidade em Tomar, contribuindo para uma maior fluidez entre o centro e a periferia, entre a zona histórica e as novas áreas. Mas, estes transportes podem ser também um importante pólo dinamizador da expansão da cidade, que dever ser planeada do ponto de vista sustentável, o planeamento passa pela mobilidade (onde entram os Transportes Urbanos de Tomar), pela vertente ambiental, e optando pelas melhores opções que visem, maximizar a poupança energética, a poupança de recursos e, principalmente, ser planeado de um ponto de vista a longo prazo, não se cometendo erros de planeamento, tais como a criação de zonas diferenciadas, como bairros sociais, ou áreas de habitação mais bem fornecidas do que outras, isto é, a evolução deve ser homogénia.

   Apesar disso, pode-se dizer que é um bom passo e uma boa estratégia, o desenvolvimento dos transportes colectivos e da mobilidade. Esperemos que o resto se venha a implementar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:32



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Setembro 2008

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2006
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D