Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Levada e central eléctrica

por Antigo Mail, em 22.02.08

Esboço 01

 

   Neste esboço (01) apresentamos a configuração de uma das comportas que passam por sob a antiga Central Eléctrica, na verdade são 3 as adufas que passam sob a central, uma destinada apenas a controlo de quotas, e duas que alimentavam as duas turbinas que produziam electricidade.

   Aqui está representado um esboço de uma das turbinas da central, alertamos para o facto de o desenho não ter sido feito com escala, destina-se apenas para explicação do funcionamento da hidráulica da vala.

   A Rua Everard é muito mais conhecido dos Nabantinos pelo nome de Levada, a levada era a puxada de água que se fez para os moinhos e moendas D'el Rey cujo funcionamento era atestado pela energia hidráulica do rio Nabão, D. Manuel restaurou os moinhos dos Templários e estabilizou o curso do Nabão, com o passar dos anos as casa foram sendo construídas viradas para a levada de água o que originou uma rua entre o curso de água e o casario , daí o nome de Levada. Mais tarde aquando da reforma toponímica levada a cabo pela Câmara Municipal, a rua passaria a ser oficialmente como a Rua Eng. João Carlos Everard , embora, no seio popular a rua continuasse a ser designada apenas como a Levada, nome que ainda hoje é conhecida. De facto se se perguntar a um Tomarense pela Rua Everard apenas alguns saberão responder enquanto se se lhe perguntar pela Levada, mesmo que não saiba o nome das ruas, indicar-lhe-á certamente a rua Everard .

   Quanto à adufa de água da central (clique na imagem para aumentar) esta é regulada pelas duas comportas que que se situam no extremo, a vala na sua quota normal dista cerca de meio metro da margem permanecendo actualmente sempre cheia, quando funcionava a central a comporta que ao contrário das comportas da adufa reguladora do caudal, são manuais, são abertas mediante um veio que está localizado junto à parede fazendo-o rodar, o qual mediante um sem-fim obrigará a comporta a subir ou descer, então, a água da vala entrará pelo canal até atingir um poço onde se encontra o veio da turbina, ao longo do veio estão localizadas umas palhetas, a água adquire rapidez na medida em que a sua deslocação se faz na horizontal tomando velocidade devido à acção gravítica, a água encontra pelo caminho as palhetas que funcionam como obstáculos, assim, a água exerce uma força sobre as palhetas dispostas obliquamente por forma a que quando passe por elas obrigue o veio a iniciar um movimento de rotação que accionará a turbina produzindo energia. no veio existe um mecanismo que permite controlar a velocidade de rotação do veio, que consiste no seguinte: um accionado vertical faz movimentar as palhetas para que as elhetas apresentem uma obliquosidade com um maior ou menor declive, então quanto menor for o declive das palhetas maior será o obstáculo para a água e maior rápido o veio girará ao contrário se o declive for maior a água fluirá mais facilmente pelo poço e o veio girará menos. Isto permite controla a produção tendo em conta dois factores: o caudal da vala (maior ou menor) e o consumo energético maior produção ou menor. findo o processo no final do poço a continuação do túnel conduz a água ao curso do Rio Nabão que está a nível mais baixo nas traseiras da central.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:50



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Fevereiro 2008

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
242526272829



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2006
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D